Compartilhe

Um estudo monitorado por cientistas da Universidade de Manchester e de instituições norte-americanas aponta que há grande probabilidade do coronavírus ser transmitido por partículas disseminadas pelo ar e, após uma pesquisa realizada com 2 mil voluntários, foi constatado que pessoas com mais de 1,83 metro têm chances dobradas, em relação aos menores, de serem infectados pelo vírus.

Segundo os estudiosos, o experimento comprova, de fato, que a transmissão do coronavírus não ocorre de maneira exclusiva através de gotas de saliva — ou gotículas descendentes — como a OMS havia comunicado. A questão de pessoas mais altas apresentarem índices significativos em comparação com as mais baixas pode sugerir que elas têm o primeiro contato com as micropartículas de ar, aumentando substancialmente a probabilidade de contágio.