Compartilhe

Petrobras muda, outra vez, a política de reajuste do preço do óleo diesel.

A empresa decidiu abandonar o prazo mínimo de 15 dias para fazer aumentos ou reduções, no valor cobrado nas refinarias. A regra, aliás, só vigorou por cerca de três meses.



Antes de março, a Petrobras anunciava reajustes a qualquer momento, até diariamente, com base nas cotações do dólar e do petróleo, por exemplo. O que deve voltar a acontecer.

A situação preocupava os caminhoneiros, que diziam perder dinheiro quando o fechavam o frete pra daí 10, 15 dias, num valor. E antes da viagem o preço do combustível subia.

Na época, a categoria ameaçou fazer greve.

Agora, porém, há quem diga que o cenário é diferente. É gente que aposta em uma tendência de queda no preço do petróleo, que já começou a ser vista.



Por exemplo, porque, há dois anos, os estoques dos Estados Unidos não ficavam tão cheios.