Compartilhe

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ganhou, no Supremo Tribunal Federal, direito de permanecer em Curitiba, onde cumpre pena na Superintendência da Polícia Federal, até julgamento do habeas corpus.

O STF acolheu parcialmente recurso da defesa do petista, para suspender decisão da juíza federal Carolina Lebbos, que determinou a transferência de Lula.



Por 10 votos a 1, o Supremo suspendeu a transferência, que logo após determinação da Justiça Federal, em Curitiba, teve definido como destino, a a penitenciária de Tremembé, no interior paulista.

A decisão do juiz Paulo Eduardo Almeida Sorci colocaria o ex-presidente entre presos condenados por casos de repercussão nacional.

Alguns deles são o casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, Gil Rugai, Cristian Cravinhos, Mizael Bispo dos Santos e Elize Matsunaga.

Segundo o Estadão, o recurso ao ministro do STF, Gilmar Mendes, pedia a suspensão da medida de transferência e outros dois benefícios.



O advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins quer liminar que conceda liberdade e assegure ao petista o direito de ocupar uma Sala de Estado Maior, esta última solicitação também acatada pelo STF.