Compartilhe

Por mais que sejam feitas campanhas de conscientização, ainda falta muita compreensão, respeito e educação das pessoas quanto às vagas destinadas à deficientes e idosos nas ruas. Em Capivari a situação não é diferente. A frase “é só um minutinho” ainda é a desculpa mais usada pelos motoristas que ainda insistem em ocupar essas vagas.

Maria é mãe da Paulina, uma jovem deficiente e que depende de uma cadeira especial para se locomover.

O que essas pessoas não tem consciência é que o “um minutinho” se torna um tempão para quem necessitada dessas vagas, mas não encontra. Cansada de ver essa situação em Capivari, a presidente do Conselho da Pessoa com Deficiência do município, Maria Aparecida Ferreira, pede por mais respeito dos motoristas.



Ouça a entrevista: