Compartilhe

Uma promoção irregular rendeu multa milionária à companhia aérea Gol.

A punição, no valor de 3 milhões e meio de reais, foi aplicada pela Fundação Procon de São Paulo, que entendeu que a empresa infringiu o Código de Defesa do Consumidor durante a promoção batizada de “Gol a Preço de Brahma”.



A ação aconteceu em junho, durante a realização da Copa América no Brasil.

O anúncio dizia que seriam vendidas passagens aéreas pelo valor de 3 reais e 90 centavos durante a partida entre as seleções do Brasil e da Venezuela, no dia 18.

No entanto, o Procon apurou cerca de metade das passagens vendidas na promoção foi para agências de viagens ou turismo e que muitos consumidores não conseguiram fazer a compra diretamente.

Como a promoção foi divulgada como sendo destinada aos consumidores – e não a agências -, o Procon entendeu que o Código do Consumidor foi desrespeitado.



Além disso, houve infração também do artigo 37, parágrafo primeiro, que proíbe a veiculação de publicidade enganosa por omissão.

Isso porque, segundo o Procon, a quantidade de passagens disponíveis e o período de validade da promoção não foram informados com clareza e nem os destinos e as datas dos bilhetes.