Compartilhe

Quase 110 mil mulheres, em todo o País, aguardam a liberação do salário-maternidade.

São mães que deram entrada no pedido, junto ao INSS, e esperam pela resposta há mais de 45 dias, que é o prazo máximo.



Essas possíveis beneficiárias estão desempregadas, trabalham por conta ou são domésticas, por exemplo.

Já que a mulher com registro em carteira recebe o salário normalmente, enquanto o patrão, depois, se acerta com o Governo.

Como o salário-maternidade não foi alterado pela reforma da Previdência, ou seja, não é preciso mexer no sistema, o atraso seria consequência da falta de pessoal no INSS.

Que perdeu cerca de 10 mil funcionários, nos últimos quatro anos, por exemplo porque as vagas dos que se aposentaram não foram preenchidas.



Em 2019, o prazo médio para a liberação do salário-maternidade foi de pouco mais de dois meses. E o órgão garante que trabalha pra agilizar os processos.

No geral, quando se analisa todos os benefícios pagos pelo INSS, como a aposentadoria, cerca de um milhão e 300 mil análises estão atrasadas.