Compartilhe

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Nevada, em Las Vegas, chegou à conclusão de que donos de carros mais caros têm uma grande probabilidade de serem babacas no trânsito, e até mesmo racistas. O estudo, reportado no canal CNN, mostrou que para cada mil dólares a mais no preço do veículo, as chances do motorista parar e deixar um pedestre atravessar a rua na faixa diminui em 3%.

Para chegar a essas conclusões, os pesquisadores conduziram um experimento no qual pediram para quatro voluntários atravessarem uma rua centenas de vezes. Os participantes foram um homem e uma mulher caucasianos, e outro casal de negros. As travessias (ou as tentativas) foram filmadas para, em seguida, analisarem as respostas dos motoristas de acordo com os carros.



Os resultados mostram que os veículos pararam 31% das vezes para as mulheres e para as pessoas brancas, em comparação com os 25% que pararam para o casal de negros e 24% para os participantes homens. De acordo com a própria pesquisa, os motoristas de carros mais caros “sentem um senso de superioridade em relação às outras pessoas que usam as ruas”, e o valor elevado dos veículos está diretamente ligado à “baixa habilidade de interpretar pensamentos e sentimentos de outras pessoas”, e “resultam na falta de empatia pelos pedestres”.