Compartilhe
Indicadores do Plano São Paulo de 7 de janeiro — Foto: Reprodução

A região de Piracicaba (SP) foi mantida na fase amarela do Plano São Paulo, que regulamenta a quarentena de prevenção à pandemia de coronavírus, em atualização anunciada no início da tarde pelo Governo do Estado de São Paulo. Os critérios para avanço ou regressão de fase, no entanto, tiveram mudança (leia abaixo).

Com a manutenção, regras como a abertura de restaurantes até 22h e bares até 20h, sempre com limite de 40% da capacidade de cada comércio, permanecem.



De acordo com os dados atualizações, a região tem uma ocupação de 50,4% na ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para uma estrutura de 12,7 leitos para cada 100 mil habitantes.

Em relação a notificações, são 308,1 novos casos para cada 100 mil habitantes e 29 internações para cada 100 mil. Já em relação a óbitos, foram 3,6 para cada 100 mil pessoas no período.

A região foi reclassificada para a fase 3 (amarela) de retomada da economia no dia 30 de novembro.

Reclassificação de municípios no Plano São Paulo — Foto: Reprodução

O que pode funcionar na fase amarela

  • Todas as atividades em funcionamento;
  • Capacidade limitada a 40% de ocupação para todos os setores;
  • Funcionamento máximo de estabelecimentos limitado a 10 horas por dia;
  • Parques estaduais abertos;
  • Restrição de atendimento presencial até as 20h em bares;
  • Restrição de atendimento presencial até as 22h em todos os demais estabelecimentos.

A próxima classificação está prevista para 5 de fevereiro.

Mudanças em critérios



O governo estadual também anunciou novas regras para avanço ou regressão de fase.

Avançar para a fase verde: região precisava alcançar 40 internações para 100 mil habitantes. E cinco óbitos por 100 mil habitantes nos 14 dias anteriores à análise. A partir de agora, a região precisa alcançar 30 internações e três óbitos para cada 100 mil habitantes em 14 dias. Assim, fica mais rígido o critério para avançar.

Endurecimento fase laranja: antes era o parâmetro da taxa de ocupação de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de Covid-19 em 75%. A partir de agora, 70%

Fase vermelha: continua sendo definida pela taxa de ocupação de leitos de UTI. Se uma região chega a 80%, ela fica classificada como vermelha.