Compartilhe

A resposta do dono de um restaurante em Porto Velho ao assédio de um cliente à sua esposa, que é atendente e sócia do estabelecimento viralizou nas redes sociais. Ele enviou um prato de frango cru ao homem que importunou a funcionária via Whatsapp.

O cliente fez um pedido de coração de galinha, e a atendente perguntou a ele, pelo Whatsapp do restaurante, qual deveria ser o ponto da carne. Neste momento, o homem passou a enviar mensagens de cunho sexual à funcionária. “Olha, linda, se a galinha tivesse uma voz suave e gostosa como a sua poderia até ser ‘crua’, se é que me entende”, afirmou o homem, que foi além: “Tenho certeza que você sabe o ponto que eu gosto”.



A mulher ficou abalada com a mensagem e, segundo o marido, ainda não se sente à vontade para conversar sobre o caso. “Vi que tinha algo errado. Ela começou a ficar trêmula, tensa. Aí eu peguei o celular, pedi para ela ir descansar, e vi as mensagens. Fiquei revoltado”, contou o empresário, que não respondeu mais nada ao cliente.

“Foi instintivo. Comecei a preparar uma marmita com as asas de frango e os corações crus. Na sequência, veio na cabeça uma música de Tião Carreiro e Pardinho, chamada ‘O Prato do Dia’, que também fala sobre uma entrega de um prato sem cozinhar, uma situação muito parecida.” Cerca de 30 minutos após a última mensagem, o cliente enviou uma foto revoltado. A marmita estava com os pedaços de frango sem cozimento. “Cadê o dono deste estabelecimento?”, questionou. O dono, então, respondeu às mensagens, em tom de ironia.

“Fico feliz que tenha recebido seu pedido conforme solicitou. Reza a lenda que esta galinha antes de morrer falou ‘pó pó pó’ com a voz suave e gostosa, se é que você me entende”, escreveu. Depois, o dono enviou mais uma mensagem explicando que o pagamento do pedido foi estornado e que o homem deveria ter mais respeito às mulheres. “Se quiser, posso ir aí pegar seu pedido de volta, mas vou com a polícia”, finalizou o comerciante.

Minutos depois, o cliente enviou uma nova mensagem, pedindo desculpas à atendente. O caso repercutiu nas redes sociais do próprio restaurante. “Não esperava que isso fosse tomar essa proporção. Era só uma reação a algo que não pode continuar acontecendo. Prefiro perder esse tipo de cliente, que eu considero tóxico, e fazer o bem. Falta educação e respeito ao próximo. Precisamos começar tudo de novo”, disse o dono do estabelecimento. “