Compartilhe

A ABREA (Associação Brasileira dos Expostos ao Amianto) realizará neste sábado em Capivari uma reunião para debater a saúde coletiva de trabalhadores expostos ao amianto ao longo das três décadas em que a Brasilit manteve operações industriais na cidade utilizando a fibra como matéria-prima.

Telha de amianto que está proibida no Brasil.

O objetivo da reunião é chamar atenção para a importância da realização de exames periódicos que possam identificar precocemente doenças relacionadas à exposição do amianto, que é cancerígeno, e, em alguns casos, pode levar à morte. O que mais preocupa é que o problema pode demorar mais de 40 anos para se manifestar, por isso a necessidade do alerta aos expostos ao amianto.



A reunião acontece às 9h30 deste sábado (6) num salão na Avenida José Anicchino, 1020. A entrada é gratuita. Fernanda Giannasi, fundadora da ABREA, falou à nossa equipe sobre essa reunião. Ouça abaixo:

Fernanda Giannasi, fundadora da Associação Brasileira dos Expostos ao Amianto (ABREA).

Vale ressaltar que a Brasilit foi a primeira empresa no Brasil a abandonar totalmente o uso de amianto em seus produtos, de forma voluntária, antes da proibição legal. Após o banimento do amianto, em 2002, a companhia informa que continuou empreendendo esforços por meio do envio de cartas, campanhas em rádios e anúncios em jornais para convocação e acompanhamento periódico dos funcionários e ex-funcionários, a fim de minimizar a possibilidade de futuros problemas de saúde.