Compartilhe

O presidente Eder Antonelli esclarece as demissões e afirma que suspenderá o atendimento aos municípios conveniados em atraso.

Por Tonny Machado



Cinquenta funcionários foram demitidos pela nova diretoria da Santa Casa de Misericórdia de Capivari na manhã da última segunda-feira, dia 04. De acordo com o presidente da entidade Eder Antonelli, as demissões foram necessárias para reduzir os gastos. Ainda segundo Antonelli o hospital trabalhava com excesso de funcionários. Com essa redução na folha de pagamento Eder acredita que a Santa Casa volte há respirar um pouco mais.

Antonelli afirmou ainda que mesmo com essas demissões o atendimento tanto do Pronto Socorro e da Santa Casa não serão prejudicados.

O presidente frisou que alguns municípios que possuem convênio com a Santa Casa ainda estão em atraso no repasse de verbas. Segundo ele os municípios de Rafard, Mombuca e Elias Fausto que tem o prazo de até sexta-feira, dia 07 de junho, para entrarem em acordo, caso isso não aconteça a partir de sábado (08) o Pronto Socorro não atendera mais essas cidades.

Nossa equipe entrou em contato com as prefeituras para apurar o caso. Até o fechamento dessa matéria a prefeitura de Elias Fausto não se manifestou.

Já a prefeitura de Rafard enviou a seguinte nota:



“Em reposta ao questionamento sobre o repasse a Santa Casa, informamos que conforme Lei aprovada no município de Rafard em abril de 2013, a Prefeitura Municipal de Rafard aumentou o valor do repasse em aproximadamente 9% e o valor que era de R$ 140.000,00 no ano passou para R$ 153.000,00. Neste ano este valor foi dividido em 9 parcelas por conta do aumento.

Os meses de janeiro, fevereiro e março estão sendo contemplados neste novo parcelamento de Maio a Dezembro.

Lembrando que foi feito no dia 10 de maio um repasse no valor de R$ 34.000,00 referentes aos meses de Abril e Maio e no próximo dia 10 será realizado um repasse de R$17.000,00 referente a junho, NÃO ESTANDO PORTANTO A PREFEITURA DE RAFARD EM ATRASO COM OS PAGAMENTOS À Santa Casa.

Em reunião realizada na semana passada com a Santa Casa e Prefeituras houve um pedido de mais um aumento no repasse do município de Rafard para a Santa Casa. Desta vez de 17 mil para 60 mil reais mês. Para que Rafard possa aumentar o repasse, a Prefeitura pediu, na reunião, o custo dos serviços do Pronto Socorro e Internações e exames (SUS), já que 3,60% de atendimentos do Pronto Socorro são aos munícipes de Rafard e 9,76% de internações de toda a Santa Casa são de moradores de Rafard. Este valor ainda não foi informado. A Prefeitura Municipal de Rafard fará formalmente o pedido de custos já realizado na reunião, pois a Prefeitura de Rafard entende que cabe a ela custear apenas os serviços aos seus munícipes mais um percentual de capacidade potencial (variação).

O Governo de Rafard acredita não ser possível aumentar o repasse sem informações da Santa Casa sobre seus custos detalhados.”

A prefeitura de Mombuca também se pronunciou sobre o caso:

“O Serviço Municipal de Saúde de Mombuca informou que os recursos decorrentes da PPI (repasse para os atendimentos de internações e cirurgias eletivas), vindos através do Ministério da Saúde, são repassados diretamente para a Santa Casa. Neste caso, a contribuição está em dia e acontece mês a mês.

O que ocorre, segundo esclarecimento do Serviço Municipal de Saúde, é que o atendimento que deveria ser feito pela Santa Casa não vem ocorrendo. Inclusive, o repasse para as internações e cirurgias é feito e ocorreram casos de não haver o profissional para fazer o atendimento dos pacientes de Mombuca. Ocorreu também nas últimas semanas, o caso de uma gestante de Mombuca, prestes a dar a luz, que não foi atendida na Santa Casa e teve que ser socorrida às pressas em Rio das Pedras.

Outra divergência com a Santa Casa ocorre com relação aos reajustes sugeridos para o pagamento mensal pelos serviços do Pronto Socorro, que passaria de R$ 7 mil por mês para R$ 30 mil por mês, valor impossível de ser aceito diante do orçamento mensal da Prefeitura. Mesmo com as divergências e faltas nos atendimentos, a Prefeitura quitou a dívida de quase 04 meses deixadas pela gestão anterior com a Santa Casa.

O Governo Municipal de Mombuca espera solucionar as questões com a Santa Casa para viabilizar os pagamentos atrasados e buscar outras soluções futuras para garantir o atendimento da população de Mombuca.”

De volta a Santa Casa

Após os pronunciamentos das prefeituras voltamos a procurar o presidente da Santa Casa. Eder Antonelli afirmou ter estranhado a nota enviada pela prefeitura de Mombuca, já que segundo ele nenhum repasse foi feito neste ano. E ainda afirmou desconhecer completamente o fato apontado, onde uma gestante teve o atendimento negado. O presidente afirmou que buscou informações sobre o caso e não houve registros deste caso.

Ouça a entrevista com o Presidente da Santa Casa Eder Antonelli