Compartilhe

Sabe aquelas guloseimas que tanto atraem as crianças e, os pais, muitas vezes, se rendem na guerra para fazer os pequenos comerem?

Aliadas à falta de atividade física são como uma bomba no organismo e provocam a obesidade.



Os quilos a mais na infância também são responsáveis, como nos adultos, pelo surgimento de doenças, como diabetes, hipertensão e colesterol alto.Todos fatores que colocam em risco a boa saúde do coração.

A obesidade na infância e adolescência aumento 10 vezes em 40 anos na América Latina, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. No Brasil, serão mais de 11 milhões de crianças obesas até 2025 – quase uma cidade de São Paulo inteira.

A OMS recomenda que, desde o primeiro ano de vida, a criança faça pelo menos 30 minutos de atividade física diária, com movimentação dos braços e pernas ao engatinhar.

De um a quatro anos, a recomendação é de cerca de TRÊS HORAS de atividades, com pelo menos uma hora de exercícios mais intensos.



Já as maiores de 4 anos devem se exercitar por pelo menos uma hora. As opções variam entre jogos e brincadeiras na escola e outras atividades em parques, como jogo de bola, práticas em piscinas, atividades de corrida ou artes marciais.

O comportamento sedentário também deve ser monitorado, segundo especialistas, durante o tempo em que os menores ficam diante da TV ou de jogos eletrônicos.

É importante fazer intervalos para que a criança de movimento, caminhe e descande o corpo e o olhar da tela. A alimentação deve ser mantida longe do local dos jogos, para que a criança se levante para buscar.