Compartilhe

Atualizado em

Pesquisa feita no Instituto do Câncer do Estado mostra também que as pessoas demoram para começar a tratar do problema.



Sete em cada dez pacientes com câncer na bexiga fumam ou já fumaram. Essa relação tão grande entre a doença e o tabagismo foi identificada pela Secretaria de Saúde de São Paulo.

Pesquisa feita no Instituto do Câncer do Estado mostra também que as pessoas demoram para começar a tratar do problema. Metade dos pacientes com tumor na bexiga tem diagnóstico tardio.

A Secretaria de Saúde alerta que o sinal mais importante é a presença de sangue na urina, que ocorreu em 88 por cento dos casos analisados.

No caso de câncer na região da boca e faringe, há histórico de tabagismo em 95 por cento dos casos. Nesse tipo de tumor, também há relação direta com o HPV.



Cerca de três em casa dez pacientes operados podem ter desenvolvido o câncer por causa da infecção pelo papiloma vírus humano.

O álcool também é um importante fator de risco.