Compartilhe

Liminar pedida pelos advogados do ex-presidente Lula para barrar o trâmite do processo sobre o sítio de Atibaia foi negada pelo Supremo Tribunal Federal.

A defesa pedia a suspensão da ação que investiga suspeita de corrupção nas obras de reforma, até que o STF decida quem fará o julgamento.



Se tivesse sido aprovado, o processo se desvincularia da investigação da Lava Jato.

O juiz Sérgio Moro já tinha negado a transferência para a Justiça Federal de São Paulo, ao considerar que o processo carrega outras provas contra Lula, além das referentes ao sítio.

Com isso, a ação permaneceria no âmbito da operação, em Curitiba.

Mesmo com a negativa, o pedido de liminar dos advogados ainda passará pelo Supremo para que seja decidido, em definitivo, onde a ação será julgada.