Compartilhe

O futuro dos suplentes depende dos processos que correm na justiça contra prefeito, vice e vereador.

Por Jean Bordini



Como a Câmara Municipal de Capivari está em recesso e, deve iniciar a primeira sessão ordinária do ano no dia 4 de fevereiro (segunda-feira), há possibilidade dos dois suplentes, tanto Capitão Leite (PPS) quanto Binga (PSD), nem chegarem assumir o cargo de vereador.

Se o prefeito e vice eleitos Rodrigo Abdala Proença (PPS) e Vitor Hugo Riccomini ganharem o processo que segue contra eles na justiça, o prefeito interino Dr. André (PSOL) volta à Câmara e por consequência o suplente Binga não chega assumir.

No caso do suplente Capitão Leite, ele também poderá não assumir como vereador no lugar de Gamaliel (PPS).

O vereador eleito Davilson Rogiere (PSDB) também responde um processo na justiça e aguarda o resultado. Se o vereador sair livre do processo ele assume a cadeira na Câmara ocupada pelo vereador Flávio Carvalho, que entrou eu seu lugar como suplente.



Portanto, a vaga deixada pelo Gamaliel, que atualmente é do Capitão Leite passará a ser do primeiro suplente Flávio Carvalho (PSDB).

Os dois suplentes assumirão se acaso houver uma sessão extraordinária, antes da Câmara voltar do recesso, ou até que os processos contra o prefeito, vice e o vereador não sejam julgados.