Compartilhe

A pandemia de covid-19 já infectou mais de 4 milhões de pessoas no mundo e deixou mais de 276 mil mortos. Diante disso, os trabalhos para desenvolver uma vacina tem se intensificado. Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), na 3ª feira (5.mai), mais de 100 candidatas à vacina estão sendo testadas e 8 delas já estão na etapa de ensaios clínicos– envolvendo humanos.

As novas tecnologias dão esperança que o tempo de criação da vacina seja menor que o comum, que pode levar cerca de 10 anos. Pesquisadores da Universidade de Oxford iniciaram testes clínicos com estimativa que o produto esteja pronto até o fim de 2020.



Os cientistas usaram como ponto de partida uma pesquisa anterior baseada em outro coronavírus, causador do Mers, que é da mesma família da covid-19. Foram realizados testes em macacos rhesus e os resultados foram promissores: uma dose de vacina imunizou 18 animais. O resultado foi publicado na revista Science Advances em 1º de maio.

Para fazer fazer a vacina contra a covid-19, foi usada a mesma plataforma da pesquisa anterior, que teve como vetor 1 adenovírus (que causa o resfriado comum) inativo e nele introduzido uma proteína do Mers-CoV, capaz de fazer o corpo produzir anticorpos. Dessa vez, os cientistas usaram uma proteína do Sars-CoV-2, responsável pela covid-19. A previsão é começar testes em 6.000 pessoas até o fim do mês.