Compartilhe

Johnson & Johnson pretende iniciar até o final do ano os primeiros testes de uma vacina experimental contra a Aids.

Eles serão realizados nos Estados Unidos e na Europa, com cerca de três mil e 800 homens, que receberão seis doses em quatro sessões.



A estimativa é que, hoje, um milhão de norte-americanos e quase dois milhões de europeus sejam portadores do vírus HIV.

A vacina produzida pela farmacêutica se baseia em um mosaico de tratamentos preventivos, que atacam várias cepas do vírus.

O principal componente, de acordo com a Bloomberg, é um vírus alterado da gripe que produz uma proteína que eleva a imunização.

O grande desafio é obter uma vacina que funcione em todas as populações do mundo, pois além de se desenvolver com rapidez, o vírus HIV é bastante diverso.



Os detalhes da nova estratégia de combate serão apresentados no fim do mês, na Cidade do México, durante reunião da Sociedade Internacional da AIDS.

A Johnson & Johnson também está envolvida em um projeto similar, na África, que deve ter os primeiros resultados em 2021.

Já em sua segunda fase, o programa prevê que duas mil e 600 mulheres, de cinco países africanos, sejam imunizadas contra o HIV.

As informações são da Agência EFE.