Compartilhe

Setor automotivo está entre os que mais demandarão profissionais para vagas ligadas à transformação digital.

A robótica associada à rotina de produção deve renovar a carreira de mecânico para atuar em veículos híbridos, especialistas em telemetria e programador de unidades de controles eletrônicos e informática veicular.



Na área de alimentos e bebidas, devem ser criadas oportunidades para técnicos em impressão de alimentos, em aplicação de tecnologias de informação e comunicação para rastreamento e especialistas em embalagens.

Na construção civil, pelo menos cinco profissões estão na linha de crescimento: integrador de sistema de automação predial, técnicos de construção seca e em automação, gestor de logística de canteiro de obras e instalador de sistemas de automação.

A chamada indústria 4.0 tem pelo menos 30 carreiras com futuro garantido.

A estimativa é do estudo feito pelo Senai e Confederação Nacional da Indústria – CNI, com participação de 20 especialistas de diversos setores da indústria, representantes de empresas, sindicatos, trabalhadores e de universidades.



Outras profissões que devem ganham mais status são: de analista em internet das coisas, engenheiro de cibersegurança, analista de segurança e defesa digital, especialista em big data e engenheiro de softwares.

O setor têxtil, pioneiro da industrialização vai continuar a se transformar, com a implantação de novas tecnologias na criação e produção de peças para vestuário.

Também surgirão – ou serão repaginadas – profissões para os setores de química e petroquímica, máquinas e ferramentas e petróleo e gás.