Compartilhe

O YouTube fechou o cerco contra o discurso de ódio em sua plataforma.

Nesta semana, a empresa anunciou que vai banir vídeos que negam o holocausto, que glorificam o nazismo e os vídeos que provocam segregação de raças.



Segundo a empresa, vídeos que neguem episódios de violência, como massacres, também serão barrados.

As medidas anunciadas agora foram tomadas, principalmente, como resposta ao atentado terrorista na Nova Zelândia, no último mês de março.

Na ocasião, um atirador transmitiu o tiroteio ao vivo pelo Facebook e vídeos do atentado foram compartilhados e viralizaram no YouTube.

No comunicado que anunciou as mudanças, a plataforma se comprometeu também a destacar conteúdo de fontes sérias e a recompensar criadores confiáveis, aumentando os esforços para combater as chamadas fake news.